O primeiro jogo, na capital federal, foi sofrido, mas o Brasília conseguiu a vitória diante do San Martín de Corrientes. O roteiro da partida de volta foi parecido e, com novo triunfo dramático, por 82 a 79, a equipe brasileira foi campeã da Liga Sul-Americana, pela terceira vez em sua história. O trio da All Sports Agency, formado pelo ala-armador Jefferson Campos, o ala-pivô Pilar e o pivô Ronald, teve grande participação na campanha do título.

Com mais de 23 minutos em quadra, Jefferson Campos, inspirado principalmente nas jogadas de ataque, ajudou a equipe candanga com nove pontos em duas assistências. Ronald, por sua vez, pegou dois rebotes e também anotou nove tentos para o Brasília. Já Pilar foi um verdadeiro leão na defesa. Com muita fala, o ala-pivô deu três tocos e ainda conseguiu apanhar seis rebotes.

O Brasília teve um péssimo começo de partida e chegou a estar perdendo por 15 a 3. Após um pedido de tempo do técnico José Carlos Vidal, a equipe voltou mais ligada, passou a roubar mais bolas na defesa. Assim, a equipe conseguiu encostar no placar e terminou os primeiros dez minutos de jogo perdendo por um ponto: 17 a 16. Com menos de um minuto do segundo quarto, os brasilienses passaram à frente no placar. Apesar dos lampejos de reação do San Martín, a equipe brasileira conseguia neutralizar as ações ofensivas do adversário sem muita dificuldade. Com mais inspiração no ataque, o Brasília fechou o período em 42 a 35.

No terceiro quarto, a diferença de sete pontos no placar foi ficando para trás e o San Martín de Corrientes encostando. Com o Brasília desnorteado em quadra, o placar chegou a ficar empatado em 51 a 51. Após mais um pedido de tempo do treinador, o Brasília voltou melhor e conseguiu encaixar uma sequência de três bolas de três pontos, com menos de um minuto para o fim, que fizeram com que o placar ficaasse 60 a 53 para a equipe brasileira.

Nos últimos dez minutos de jogo, o Brasília entrou muito ligado e disposto a vencer para garantir o título e evitar a realização da terceira partida. O cansaço das duas equipes, no entanto, começou a aparecer e deixava claro que a partida estava totalmente indefinida. A menos de 15 segundos para o fim da partida, a equipe brasileira teve dois lances livres à disposição e converteu apenas um, ficando na frente do marcador com 79 a 76. Na saída de bola, o San Martín teve uma bola de três pontos, nas mãos de Matías Lescano, que sofreu falta no ato do arremesso e teve o direito a três lances livres. Lescano converteu os três e empatou a partida a menos de 6 segundos para o fim. Em jogada que saiu da lateral da quadra, Guilherme Giovannoni encontrou Deryk Ramos, que tinha cometido a falta que resultou no empate do adversário, livre para acertar um preciso arremesso de três pontos e garantir a vitória por 82 a 79 e o terceiro título sul-americano do Brasília.


Apesar de ter somente 23 anos, o pivô Ronald pode se orgulhar de uma coisa: já conquistou títulos muito importantes na carreira. Revelado pelo Brasília, o atleta de 2,07m já conquistou Liga das Américas, em 2008-2009, três edições do NBB, 2009-2010, 2010-2011, 2011-2012, e a própria Liga Sul-Americana, em 2010 e 2013. O título nesta temporada, no entanto, teria um sabor mais especial, pois, na condição de titular, tem uma participação maior. Por isso, nem passa pela cabeça dele a possibilidade de deixar a vitória escapar para o San Martín de Corrientes, na noite desta quarta-feira, às 22h15, no ginásio Fortín Rojinegro, na Argentina. Em caso de revés brasileiro, o campeão será definido em jogo no dia seguinte, na mesma hora e local.

Na primeira partida, que terminou com vitória sofrida do Brasília, no tempo extra, por 94 a 92, Ronald viveu uma grande noite. Com mais de 35 minutos em quadra, o cliente da All Sports Agency marcou 13 pontos e conseguiu pegar nada menos que 12 rebotes. Para o jogo desta noite, o camisa 6 da equipe brasiliense garante que o foco será o mesmo.

“Está todo mundo muito focado, estudando o adversário, vimos vários vídeos dos jogos deles… Essa vitória em Brasília foi muito importante para manter a equipe motivada e acho que vamos entrar com mais força e mais garra para evitar um terceiro jogo e garantir o título logo. Estou muito ansioso para jogar logo e ver o que vai dar. Vou dar o meu máximo porque quero muito ganhar esse título. Será muito especial por ser o primeiro como titular absoluto, com participação maior minha. Nos outros títulos, eu jogava dez minutos, era banco… Mas agora é diferente e quero levantar essa taça”, destaca.

Outra grande ajuda que o Brasília teve no primeiro jogo foi da torcida. Com o ginásio da Asceb completamente lotado, o público brasiliense apoiou a equipe do início ao fim e ajudou a incendiar a partida na prorrogação, fazendo com que o ímpeto ofensivo do time da casa foi maior. Nesta quarta-feira, entretanto, o clima será bem diferente, pois a equipe brasileira estará em situação totalmente oposta. A estratégia de Ronald é deixar o foco somente dentro da quadra.

“A torcida teve um papel fundamental na nossa casa, mas nesse jogo da volta não teremos o apoio deles e temos de entrar em quadra e esquecer tudo o que estiver ao redor de nós. Sabemos que será uma pressão muito grande, como a nossa torcida fez no jogo da ida, mas estaremos do outro lado e não podemos deixar isso atrapalhar. Como eu falei, estão todos muito focados e isso não será um grande problema para nós”, afirma.

Outros dois atletas da All Sports também foram importantes para o Brasília: o ala-armador Jefferson Campos e o ala Pilar. Assim como Ronald, eles foram fundamentais em toda a campanha e mantiveram o bom desempenho na fase semifinal e no primeiro jogo da decisão. Se continuarem com a mão calibrada, os brasileiros têm tudo para vencer esta noite, em partida que terá transmissão ao vivo do Sportv, e garantir o título da competição, que seria o terceiro na história do clube da capital federal.


Na quarta semana do NBB, sete clientes da All Sports Agency brilharam. Na eleição do Time dos Sonhos, que considerou as cinco partidas disputadas entre os dias 25 e 30 de novembro. Quatro jogadores aparecem na primeira equipe: Bruno Irigoyen, do Franca, Tyrone Curnell, do Mogi das Cruzes, Ronald, do Brasília, e Diego Conceição, do Caxias do Sul.

Bruno Irigoyen, teve atuações brilhantes nas vitórias de Franca sobre Brasília, quando anotou 26 pontos, e Caxias do Sul, quando marcou 31. O norte-americano Tyrone Curnell, cestinha da vitória do Mogi das Cruzes sobre o  Rio Claro com 15 pontos, ainda totalizou dez rebotes. Ronald, por sua vez, teve uma boa média de pontos, com 17 contra o Bauru e 16 sobre Franca. Apesar da derrota para Franca, ala-pivô Diego conseguiu se destacar com nove pontos, 13 rebotes e quatro tocos, e aparece como sexto homem da equipe.

Na segunda equipe, o armador Ricardo Fischer aparece bem após a importante vitória do Bauru sobre o Brasília, onde ele marcou 22 pontos e apanhou nove rebotes. Gui Deodato, do Rio Claro, conseguiu aparecer mesmo na derrota para o Mogi das Cruzes, com 18 pontos, e também está no time.  O sexto homem do time é Jefferson Campos, do Brasília, que marcou 17 pontos nas partidas diante de Bauru e Franca.

 


Foi difícil e no tempo extra, mas o Brasília conseguiu o seu objetivo no primeiro jogo: usar o apoio da torcida para derrotar o San Martín de Corrientes e largar na frente na final da Liga Sul-Americana. Com uma bonita festa no Ginásio da AsCEB, totalmente lotado, na noite desta quinta-feira, a equipe brasiliense superou uma diferença de dez pontos aberta no início do quarto inicial e fechou a partida com vitória por 94 a 92.

Assim como ao longo da competição, o trio brasiliense da All Sports Agency, formado pelo ala-armador Jefferson Campos, o ala Pilar e o pivô Ronald, teve boa participação. Com grande atuação na defensa e, principalmente, segurando as investidas de Bolívar, do San Martín, Pilar marcou três pontos e ainda contribuiu com três assistências. Jefferson, por sua vez, anotou 12 pontos e ainda ajudou lá atrás com três tocos. Ronald viveu uma grande noite. Com mais de 35 minutos em quadra, o camisa 6 marcou 13 pontos e conseguiu pegar nada menos que 12 rebotes.

Os argentinos comandaram o primeiro quarto do jogo e terminaram com um preocupante 23 a 13, com grande atuação do ala Jeremiah Wood. Ao sentir as dificuldades dentro de quadra, a torcida brasiliense começou a cantar mais forte e o apoio deu resultado. Mais ligados e rodando a bola, o Brasília contou com grande participação de Jefferson Campos no ataque não teve dificuldades para tomar o comando do jogo e virar o placar. O segundo período acabou com o time da casa vencendo por 39 a 38.

No terceiro quarto, o equilíbrio apareceu. Se o San Martín pontuava nas bolas de três, o Brasília fazia o mesmo e a partida passava a ganhar um ritmo mais emocionante. A equipe brasileira encaixou boas bolas, com grade atuação de Pilar na defesa, controlava as ações do oponente e vivia um momento melhor. Experientes, os argentinos passaram a segurar mais a bola, gastar tempo e frear o adversário. O período acabou empatado em 66 a 66 no que seria apenas a primeira igualdade da noite. Com muita pressão da torcida, as equipes voltaram para quadra disputando cada ponto. Com sete segundos para o fim, Ronald deixou o Brasília com dois pontos de vantagem. Os argentinos, porém, conseguiram um contra-ataque empataram a partida em 84 a 84 no estouro no cronômetro, levando para o tempo extra.

Apesar do cansaço, a disputa por cada bola continuou bastante acirrada. Com menos de dois segundos para o fim, o Brasília conseguiu uma cesta de três pontos e  decretou a vitória por 94 a 92. O próximo jogo da série será disputado em Corrientes, na próxima quarta-feira, às 22h15. A vitória dá o terceiro título da Liga Sul-Americana ao Brasília. Caso o San Martín vença, o terceiro jogo será realizado no dia seguinte, na mesma hora e local.

 


Chegou o dia da decisão. O Brasília recebe os argentinos do San Martín de Corrientes na noite desta quinta-feira, às 20h, no Ginásio da AsCEB, na capital federal, pelo primeiro jogo da final. Campeão em 2010 e 2013, a equipe brasiliense busca o terceiro título da competição de sua história e, por ter feito campanha inferior, vai decidir o campeonato fora de casa. Importante na semifinal e em toda a campanha, o trio da All Sports Agency, formado pelo ala-armador Jefferson Campos, o ala Pilar e o pivô Ronald, espera manter o bom desempenho para sair com a vantagem na primeira partida.

Os números do trio na fase semifinal são bem satisfatórios. Jefferson teve uma média de pontos de 6,8 , com 0,8 de assistências e 1,4 de rebotes. Pilar se destacou nas assistências, com 2,0 de média. Ele ainda teve 5,8 de pontos e 3,6 de rebotes. Já Ronald chamou a atenção com o número de rebotes que apanhou, com 7 no primeiro jogo, 8 no segundo e 6 no terceiro, fechou com média de 7,6.

Para conquistar um lugar na decisão, o Brasília foi líder do grupo E durante a semifinal e derrotou o Obras de Argentina, por 72 a 68, o Malvín, do Uruguai, por 77 a 75, e, mesmo já classificado, jogou sério e venceu o Quilmes de Mar Del Plata, da Argentina, por 73 a 69. Na outra chave da competição, estavam os brasileiros do Mogi das Cruzes e de Franca. Porém, ambos ficaram no caminho e foram eliminados pelo San Martín de Corrientes e inviabilizaram a possibilidade de uma final brasileira.

O jogo da volta está marcado para a próxima quarta-feira, dia 9, no ginásio Fortín Rojinegro. Caso seja necessário, a terceira partida será no dia seguinte, no mesmo local. Usar bem o fator casa e vencer esta noite para largar na frente é fundamental para o Brasília seguir bem vivo na disputa do título.


Com vitória nos três jogos da fase semi-final e 100% de aproveitamento, o Brasília está na final da Liga Sul-Americana. Na primeira partida, disputada na terça-feira, os brasileiros derrotaram o Obras de Argentina por 72 a 68. No jogo seguinte, a equipe venceu o Malvín, do Uruguai, por 77 a 75 e já garantiu a vaga. No último confronto, que servia apenas para cumprir tabela, o Brasília mostrou foco total no torneio e conquistou novo triunfo, por 73 a 69, sobre o Quilmes de Mar Del Plata, da Argentina.

O trio da All Sports Agency teve participação fundamental na campanha vitoriosa. O armador Jefferson Campos teve uma média de pontos de 6,8 , com 0,8 de assistências e 1,4 de rebotes. O ala Pilar se destacou nos nas assistências, com 2,0 de média. Ele ainda teve 5,8 de pontos e 3,6 de rebotes. Já o pivô Ronald chamou a atenção pelo número de rebotes que apanhou, com 7 no primeiro jogo, 8 no segundo e 6 no terceiro, fechou com média de 7,6.

O Brasília, líder do grupo E, ficará de camarote aguardando o adversário da grande final da competição, que será jogada em playoff, melhor de 3 partidas. A equipe enfrentará o vencedor do quadrangular semifinal do grupo “F”, que será realizado na cidade de Barquisimeto, na Venezuela, e contará com as seguintes equipes: Mogi das Cruzes e Franca, representando o basquetebol brasileiro, San Martin de Corrientes, da Argentina, e a anfitriã Guaros de Lara. As partidas acontecem na semana que vem e o adversário do Brasília será conhecido na próxima quinta-feira, dia 19.

De acordo com o regulamento da competição, a equipe que terá o direito de jogar o maior número de partidas em casa no playoff final será aquela que tiver o melhor desempenho  na fase de semifinal, desprezando-se a fase de grupos ou fase de classificação.